Blog

EXPEDIÇÃO NATUREZA INSPIRA ARTE NO PARQUE DA LUZ

Parque da Luz - Guia dos Parques Municipais SVMA

Parque da Luz – Guia dos Parques Municipais SVMA

Conhecer a natureza e a história do mais antigo parque público da cidade de São Paulo e retratar seus diferentes aspectos, seja em desenho, pintura ou fotografia. Esta é a atividade promovida pelo Festival Cultivar o dia 19 de setembro. A Expedição Natureza Inspira Arte: Registros em Fotografia, Desenho e Pintura, no Parque da Luz, terá como guias a artista plástica Juliana Russo, a designer para sustentabilidade e diretora do Cultivar, Juliana Gatti, e o fotógrafo João Kulcsar.

A equipe do Instituto Árvores Vivas conduzirá o processo, compartilhando informações sobre diversos aspectos do parque: história, fauna, flora e particularidades. Dentro deste quadro, os guias conduzirão o público a registrar a natureza e as singularidades do Parque da Luz utilizando diversos processos.

O Parque da Luz é o mais antigo parque público municipal da cidade de São Paulo. Criado originalmente como Horto Botânico, foi aberto ao público em 1825. Sua história está intimamente ligada à arborização da cidade. Sua vegetação é composta por bosques e jardins implantados com espécies como alecrim-de-campinas, chichá, jenipapo, magnólia-branca, oiti, sapucaia, pau-ferro, dentre outras. Destacam-se alamedas de falsa-figueira-benjamim e de guatambu. Foram registradas 165 espécies. Em relação à fauna, foram registradas mais de 70 espécies, das quais a grande maioria são aves. Há também os famosos bichos-preguiça, difíceis de avistar.

Os registros realizados durante a expedição do dia 19 serão expostos no Parque da Água Branca nos dias 26 e 27 de setembro, quando acontecerão muitas outras atividades no local.

A atividade começa às 14h, com ponto de encontro na frente da Pinacoteca.

19/09 (sábado)

Natureza Inspira Arte: Registros em Fotografia, Desenho e Pintura
Horário: 14h às 17h
Endereço: Praça da Luz s/n, Bom Retiro (ao lado da Pinacoteca do Estado)
Os guias

Juliana Russo é artista plástica devota da rua. É na diversidade de pessoas, ideias, camadas arquitetônicas e respiros de natureza em meio ao concreto urbano que busca inspiração. É integrante do Cidades para Pessoas, que pesquisa projetos que deixem as cidades mais humanas. É membro do grupo Urban Sketchers, que reúne desenhistas de cidades pelo mundo. Participou de algumas exposições, entre elas o 15º Salão de Arte da Bahia, a 9º Bienal de Arquitetura, a exposição de abertura na galeria Phosphurus em 2012 e no ano passado uma individual na Galeria Epicentro Cultural com a exposição “Infinita Descontinuidade”. A matéria prima de seu trabalho é a observação da cidade como território do possível. Conheça mais o trabalho da artista em http://jurusso.tumblr.com/

João Kulcsár tem mestrado em artes pela Universidade de Kent, Inglaterra, 1996/7. Foi professor visitante na Universidade de Harvard 2002/3, como bolsista da Comissão Fulbright. Professor do SENAC-SP desde 1990. Curador de exposições fotográficas no Brasil e no exterior como Portugal, Estados Unidos, Cuba, Inglaterra, Itália e Suíça. Coordenador do projeto de uso de fotografia em sala de aula e de fotografia para pessoas deficientes visuais. Autor do livro Herança Compartilhada e Retratos Imigrantes. Editor do site www.alfabetizacaovisual.com.br.

Juliana Gatti é designer para a sustentabilidade pelo Gaia Education com especialização em paisagismo, botânica e ecologia. Fundadora do Instituto Árvores Vivas para Conservação e Cultura Ambiental. Há nove anos trabalha com pesquisas sobre a relação entre pessoas e o meio ambiente. Inspira-se na diversidade natural como uma obra de arte infinita e viva. Desenvolve a metodologia multissensorial-integrativa-informativa aplicada nas ações do Instituto. Também é idealizadora da Rede de Troca Sementes e Mudas e anualmente faz a direção e curadoria do Festival Cultivar.

Deixar um comentário

You must be logged in to post a comment.